Amor à patria, ou Nacionalismo ufanista

Nacionalismo ufanista

O nacionalismo ufanista, também chamado de nacionalismo exagerado ou exacerbado é o caso de um orgulho excessivo pela pátria. Neste caso, é comum que um nacionalista ufanista se considere superior aos outros e a outros tipos de ideologias, suprimindo qualquer tipo de dialogo ou livre escolha de ideias. Este tipo de presunção pode levar a atos de discriminação contra pessoas de outro país. Ou contra pessoas do mesmo país com ideias contrarias ou diferentes ao nacionalismo. Assim o nacionalista ufanista defende sua bandeira pátria e reforça a ideologia de um Estado total, onde seu poder inflige os direitos democráticos e alimentando a xenofobia, aversão  irracional ou antipatia a estrangeiros.

-Brasil_ame-o_ou_deixe-o

Frase amplamente propagada pelo governo militar para implantar seus ideais à mentalidade do povo brasileiro e conquistar a aderência por meio de “lavagem cerebral midiática” no qual “amar” é sinônimo de aceitar o arbítrio institucionalizado e “deixe-o” é justificativa para prisões e exílio a que centenas foram submetidos no período da ditadura.

Ufanismo no período de ditadura.

Durante o período de governo ditatorial militar no Brasil (1964 – 1985), iniciou-se um movimento de campanhas ufanistas que exaltavam o sentimento nacionalista do povo brasileiro, conquistando assim sua simpatia e aglutinando as massas em uma direção estratégica e concomitantemente a uma ideologia totalitarista.  Levantando gritos de guerra como “Ninguém segura este país” e “Brasil, ame-o ou deixe-o”, e se utilizando de músicas que continha refrão como “Eu te amo, meu Brasil, eu te amo; ninguém segura a juventude do Brasil”, ““Este é um país que vai pra frente (…)”.  A euforia gerada pelo governo ditatorial levou os cidadãos às ruas para cantar versinhos patrióticos, misturando ideologias de extrema direita e movimentos populares em um carnaval fora de época. Reforçando e internalizando os ideais da Ditadura Militar.

Exemplos graves de nacionalismo ufanistas são: Nazismo, Fascismo e as ditaduras na America latina.

Anúncios

Sobre Douglas G. Fernandes

Professor de História graduado pela UNIMESP e Filosofia graduando pela UNIFESP. Autor do Portal Alexandria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: