N. Tesla e o Raio da Morte

Tesla desenvolveu a teoria que deu origem ao Projeto Haarp. Através de um grande conjunto de antenas, uma série de ondas muito complexas são enviadas à ionosfera. Estas ondas estão desenhadas de tal forma que se encaixam com a ionosfera causando uma cavidade ressonante. Este conceito inclui o aquecimento da ionosfera como se tratasse de um gigantesco forno de microondas. O projetista original do Haarp o define como um escudo de defesa contra mísseis para destruir os circuitos das bombas ingressantes. Não foi concebido originalmente como uma arma. Nas patentes, seu uso primordial é defensivo. Pelo hiperaquecimento de porções da atmosfera superior pode-se afetar os padrões climáticos globais. O perigo do Haarp é que se concentrado em um ponto reduzido da ionosfera pode-se criar um fenômeno de raio produzindo a distorção da magnetosfera , que constitui-se no escudo magnético da Terra. Os perigos do uso desta tecnologia, com a possibilidade da destruição da humanidade, são provavelmente os motivos pelos quais Tesla havia decidido mantê-lo em segredo. Mas, quando Tesla faleceu aos 87 anos de idade, seu legado de mais de 700 patentes ficou jogado na escuridão, esquecido por quase todos, salvo o governo norte-americano, que confiscou e levou todos os bens de Tesla para um depósito, onde permaneceram pelos dez anos seguintes à sua morte. Os informativos oficiais confirmam que a coleção foi microfilmada durante este período. O governo nega qualquer tecnologia armamentista entre os documentos de Tesla.
Em 4 de julho de 1976 vários ouvintes de rádio nos EUA detectaram um novo e estranho sinal que recebeu da CIA o nome de pica-pau. Por triangulação detectaram a sua fonte na União Soviética. Os soviéticos haviam experimentado a criação de uma aurora artificial, avaliando a projeção a grandes distâncias, no horizonte, de energias de frequência muito baixa. Em 13 de julho de 1977, às 21:19 hs, o sinal pica-pau subitamente desapareceu e uma estranha e delicada luminosidade envolveu os geradores que abasteciam a cidade de Nova York. Subitamente toda a cidade ficou desaparecida na escuridão, criando caos e confusão. Este apagão foi similar ao provocado por um experimento de Tesla, em Colorado Springs, que acabou por danificar os geradores da usina local.
Tesla começa, em 1900, a construção da legendária torre Wardenclyffe, pela qual desejava materializar o seu sonho de transmissão de energia e comunicação global. Este projeto foi interrompido porque poderia ser utilizado como uma arma para derrubar aviões, já que poderia ser utilizada para controlar o clima. Todos os pássaros, gaivotas e os animais em geral, abandonaram a zona num raio de 60 Km. Os pescadores se queixaram de não encontrarem peixes entre 15 e 25 Km do ponto onde estava erguida a torre. Durante testes com o amplificador transformador este começou a ressonar com uma série de “clicks” precisos, similares a código morse. Tesla estava convencido que estes sinais estavam sendo enviados por seres extraterrestres. Tesla expressou seu credo da vida em Marte, e como ele acreditava ter a prova. Ele, mais tarde, concebeu transmissores para a comunicação com os marcianos, expondo sua visão de que manter relações pacíficas com nossos vizinhos espaciais era um dos mais urgentes deveres da humanidade.
Em seus últimos dias, Tesla ficou fascinado com a idéia da Luz sendo tanto partícula como onda – a proposição fundamental do que se tornaria a física quântica. Este campo de investigação o levou à criação do Raio da Morte.

Anúncios

Sobre Douglas G. Fernandes

Professor de História graduado pela UNIMESP e Filosofia graduando pela UNIFESP. Autor do Portal Alexandria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: