CIDADE DAS SOMBRAS (Dark City,1998) Legendado

O filme nos instiga a respeito de temas como autoritarismo e existencialismo. A grande questão é, o que é a realidade quem constrói a realidade ou ela existe por si só? a realidade é construída por ideologias da classe dominante ou ela existe independentemente da ação humana?

INFORMAÇÕES TÉCNICAS:
Título no Brasil:  Cidade das Sombras
Título Original:  Dark City
País de Origem:  Austrália / EUA
Gênero:  Ficção
Tempo de Duração: 101 minutos
Ano de Lançamento:  1998
Site Oficial:  http://www.darkcity.com
Estúdio/Distrib.:  Warner Home Video
Direção:  Alex Proyas

Clique aqui ou na imagem e assista!

SINOPSE:

John Murdoch desperta em sua banheira com uma única memória de seu passado e imediatamente descobre-se acusado de vários assassinatos, embora não tenha a menor lembrança de tê-los cometido. Um detetive quer leva-lo à justiça ao mesmo tempo em que estranhos seres vampirescos o perseguem pela cidade da noite eterna.

O DIRETOR:

Depois de O CORVO, que atingiu rapidamente status de cult entre cinéfilos do mundo inteiro, o diretor Alex Proyas realizou um filme ainda mais interessante, visualmente instigante e ousado com CIDADE DAS SOMBRAS. Cult instantâneo, recebeu diversos prêmios de Melhor Filme e Melhor Roteiros em diversos festivais de Cinema Fantástico.
O crítico americano Roger Ebert aclamou-o como o melhor filme americano de 1998.
Seus filmes posteriores são igualmente interessantes, especialmente DIAS DE ENSAIO, uma divertida e absurda comédia sobre uma banda de garagem. EU, ROBÕ, com Will Smith, talvez seja o filme mais fraco de sua carreira, muito provavelmente por causa da pressão de ter que fazer um filme para as massas. Seu último filme, PRESSÁGIO, novamente um drama fantástico, recebeu boas críticas.

O FILME:

Um mundo onde a realidade não é o que parece, onde seus habitantes tem memórias de um passado que nunca existiu, onde estranhos controlam tudo e apenas um homem tem o poder de desafiá-los, mas ele ainda não sabe disso.

Lembrou MATRIX?! Mas não é. CIDADE DAS SOMBRAS foi lançado um ano antes e rodado na mesma cidade, Sidney, Austrália. Coincidência? Sincronicidade? Talvez, mas não deixa de ser assombroso o quão similares são alguns detalhes do roteiro, dos diálogos, dos personagens e até dos enquadramentos.

Mas a diferença é que CIDADE DAS SOMBRAS é um filme mais sombrio, mais humano e mais questionador sobre o que é a “realidade” do que sua contraparte repleta de golpes de kung fu e efeitos especiais. Não que CIDADE DAS SOMBRAS não tenha muitos efeitos especiais, eles apenas não são tão espetaculares… bem, talvez alguns sejam. Mas assim como em MATRIX REVOLUTIONS a espetacular batalha final lembrava o primeiro encontro de Miracleman e Johnny Bates, a batalha final de CIDADE DAS SOMBRAS, segundo o próprio diretor Alex Proyas, é uma homenagem a batalha final do mangá AKIRA.

A Disney foi a primeira produtora do filme, mas ao perceber a complexidade do roteiro e da direção que Alex Proyas queria dar ao filme, desistiu do filme. Para nossa sorte, a New Line encampou o projeto e permitiu que Proyas fizesse seu filme com mais liberdade criativa.
Sorte nossa, que agora podemos ter o prazer de assistir essa pérola do Cinema Fantástico (ainda) pouca vista pela maioria dos apreciadores do bom Cinema.

CIDADE DAS SOMBRAS faz justiça a seu título graças à fotografia noir de Dariusz Wolski, que em conjunção com o inspirado desenho de produção de Patrick Tatopoulos, criam uma cidade soturna, caótica e anacrônica, onde têm-se a impressão de se estar vendo um mundo dos anos 50, mas com alguns objetos e pessoas que não deveriam estar lá.
Proyas e sua equipe basearam-se na arquitetura gótica e em filmes expressionistas alemães como METRÓPOLIS e M, ambos de Fritz Lang, para criar a atmosfera densa e pesada do filme, onde até os prédios, literalmente, são personagens da trama.

A questão do que é real e o que não é real é encarada pelo personagem principal com o costumeiro assombro, mas até o final do filme ele se dará conta de que a realidade é relativa e talvez a realidade definitiva seja aquela que nós mesmo construímos em nossas mentes. E assim como o universo, as realidades possíveis são infinitas.

Texto de: Jerri Dias
 CURIOSIDADES DO FILME:
– Logo no início do filme, aparece um cartaz de um teatro com os dizeres “Now Showing, The Evil, Late Show Nightly”, com outro cartaz ao lado onde estava escrito “Comming Attractions, Book of Dreams”. Ao término do filme, o cartaz anunciando para em breve “Book of Dreams” permanece, mesmo com o teatro tendo sido alterado;- O número do quarto de hotel onde John Murdoch (Rufus Sewell) acorda 614. Na Bíblia, o salmo João 6:14 se refere chegada do salvador.

SITES PESQUISADOS:

Jerri Dias

http://jerridias.blogspot.com.br/2009/09/cidade-das-sombras-dark-city-eua-1998.html

saindo da matrix

http://www.saindodamatrix.com.br/cinema/darkcity/index.html

Anúncios

Sobre Douglas G. Fernandes

Professor de História graduado pela UNIMESP e Filosofia graduando pela UNIFESP. Autor do Portal Alexandria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: