Índia-divisões e sub-divisões sociais.

 A Índia é um país rico culturalmente que constitui varias facetas sociais.

 

  Quando pensamos em sociedade logo pensamos em um agrupamento de pessoas compartilhando propósitos, gostos, preocupações, costumes, e interagindo entre si constituindo uma comunidade. Mas quando se trata da sociedade indiana, não se pode afirmar isso, em pleno século XXI, pode-se constatar um sistema de segregação social negando os direitos sociais, econômicos e políticos. Um “apartheid” de discriminação social e não racial baseado em separação cultural e ideológica, existente apenas no imaginário dessa sociedade.

A índia é um país de divisões e subdivisões sociais, conquistada por ela mesma em suas infinidades de Índias que existem em uma só, uma pluralidade seccionada em aldeias e castas distintas e antagônicas entre si. Regulada por um sistema religioso, que sustenta a unidade fundamental mantenedora de uma diversidade desigual, e tem sua base a partir de um texto de mais de dois mil anos classificando os grupos sociais segundo sua pureza ritual obedecendo ao hinduísmo atribuído ao legislador Manu.

A influencia da antiga civilização hindu sobre os demais povos da Ásia, propagou os fundamentos do hinduísmo fortemente. Desde a sociedade védica, os arianos que se localizavam na Índia, organizavam-se em tribos que eram subordinadas a um chefe. Ao passar dos tempos criaram diversos preceitos que passam a ser adotados por grande parte da sociedade hindu, como a idéia de reencarnações sucessivas e a instauração de um rígido sistema de castas.

Esse sistema de isolamento estrutural, atribuindo funções e atividades de acordo com o determinismo biológico de cada individuo da mesma forma que o sistema capitalista faz com seus trabalhadores, quando as submetem a classe proletariado, a única coisa que difere estes dois sistemas, é que a classificação das castas age como uma estratificação social hereditária.

 Do nascimento a morte, todo individuo pertence a uma determinada ordem regulada pela hierarquia social, uma construção ideológica discriminatória que garante o monopólio cultural, social, político e econômico nas mãos dos hereditários do poder.

Essa hierarquia social que atravessou os séculos mantém mais de um sexto da população da Índia em posição de opressão e miséria. Proporcionado pela noção hierarquizada do bem social por uma ideologia de legitima subjugação e despotismo por camadas hereditárias, impede que a grande massa questione o porquê de sua posição, lhes cabe o serviço braçal considerado impuro pelas castas superiores que lhes paga com um punhado de arroz por dia ou às vezes menos.

Esta divisão entre castas e sub-castas, unifica e reconhece a Índia em um sistema religioso em comum, que alimenta o sistema econômico e reforça o tradicionalismo cultural da Índia. Uma índia que não se reconhece enquanto nação, por causa da violação de seus direitos e do não reconhecimento de seus semelhantes, tornando-a frágil contra invasões externas e muitas vezes voltando contra ela própria.

Douglas G Fernandes    

Ariana Barbosa     

 

Anúncios

Sobre Douglas G. Fernandes

Professor de História graduado pela UNIMESP e Filosofia graduando pela UNIFESP. Autor do Portal Alexandria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: